26 de abril de 2009

Forro de gesso

Esta matéria publicada na revista "Arquitetura e Construção" deste mês mostra a tendência dos forros de gesso. Antes as sancas eram rebuscadas e exageradas e hoje apresentam linhas mais simples.
Nós utilizamos muito, em nossos projetos, a sanca em conjunto com o projeto de iluminação, pois com ela conseguimos proporcionar uma iluminação geral, homogênea e econômica sem precisarmos carregar o teto com muitas luminárias.

Uma sanca solta do teto, um forro com luz sobre as cortinas, círculos iluminados na cozinha ou um forro que faz a sala crescer. Quatro maneiras de usar o gesso com roupagem moderna. Que ele faz mágicas na arquitetura, já sabemos. Basta apenas descobrir o efeito que você quer causar. Depois de apreciar os ambientes abaixo, inspire-se também nessas soluções bem práticas.

Solta do teto, em balanço

Feita de gesso acartonado liso, a sanca com balanço de 40 cm marca este quarto de apartamento que tem 2,40 m de pédireito. “A solução permite embutir as lâmpadas fluorescentes, o que torna a iluminação mais tênue e aconchegante”, explica a arquiteta Betty Birger, de São Paulo.

Luz discreta e indireta

Nesta sala de 40 m², o friso de 8,30 m de comprimento no forro de gesso acartonado segue o princípio de um cortineiro: a 20 cm da esquadria, embute lâmpadas fluorescentes de 32 w. Projeto da arquiteta Márcia Carvalhaes, de Belo Horizonte.

Círculos de vários tamanhos

Na reforma desta cozinha, os nichos de iluminação circulares trazem o impacto e a ousadia que os moradores queriam com o novo projeto, assinado pelos arquitetos cariocas Paula Neder e Alexandre Monteiro. Os vãos recortados no teto de gesso (com 1 m e 1,50 m de diâmetro) receberam lâmpadas fluorescentes T5 amarelas de 14 w. “O formato circular permite uma composição mais livre, pontuando a luz pelo ambiente”, explica Alexandre.

Integração cênica

Ao avançar 40 cm em direção ao hall de entrada, a sanca de gesso comum desenhada pela arquiteta Evelin Sayar, de Santo André, SP, dá continuidade entre este ambiente e a sala. A cortina de luz formada por dez minilâmpadas dicroicas a cada 30 cm ressalta essa intenção. “O recurso dá a impressão de que o teto da sala escapou para o corredor”, observa Evelin.

Um comentário:

Lourival Boulhosa Neto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...